O Programa Casa Segura e a Qualifio são parceiros na busca pela segurança das instalações e pela qualidade dos fios de e cabos elétricos. Não corra RISCOS, use somente fios e cabos CONFIÁVEIS.


Sensação de fadiga, cansaço. Coração batendo mais lento. Veias do coração entupidas. Quando esta situação acontece, existe um risco eminente de que o indivíduo venha a sofrer um enfarte, e por consequência o receio de que uma fatalidade maior aconteça: a morte.

 

 

 

 

 

 

Tomadas esquentando. Fios e cabos superaquecidos. Curto-circuito acontecendo. Quando isto acontece, é sinal de que a sua instalação elétrica está a ponto de sofrer um incêndio, e com isto, o medo de que a morte aconteça também aparece.

 

 

 

 

 

 

Será que você já tinha parado para pensar que, assim como as artérias do coração ficam fadigadas e podem parar de funcionar, uma instalação elétrica também sofre quando os fios e cabos são de procedência duvidosa?

Assim como o seu corpo sofre com hábitos alimentares não saudáveis e vida sedentária, a sua instalação elétrica também sofre com fios e cabos não confiáveis.

Cabos não confiáveis são como artérias entupidas– dificultam a passagem do sangue.

O uso de fios e cabos sem qualidade aumentam a resistência elétrica. Isto significa que os elétrons que passam por esses fios terão mais dificuldade para circularem e (aumento da resistência) e assim como nas artérias e veias entupidas, causam um problema, só que no caso das instalações esta resistência se transforma em calor, aumentando assim a probabilidade de que ocorra um aquecimento desses fios e cabos e o princípio de incêndio.

Agora, imagine a seguinte situação: você decide construir ou reformar a instalação elétrica de sua casa. Então, ao adquirir os fios e cabos você procura por aqueles produtos que são mais seguros e confiáveis, a fim de evitar que haja um problema de superaquecimento em suas tomadas, e por consequência um incêndio.

Mas, como se certificar de que os produtos têm de boa procedência?

A Qualifio – Associação Brasileira pela Qualidade dos Fios e Cabos Elétricos, realiza mensalmente uma ação de monitoramento dos fios e cabos comercializados nos principais pontos de venda, a fim de garantir que o consumidor não esteja comprando “gato por lebre”.

Somente no ano de 2018, a associação coletou, 611 amostras de fios e cabos no mercado, nos quais foram testadas em laboratório e apresentaram o seguinte resultado:

57% das amostras estavam não-conformes, apresentando um desvio de resistência elétrica de 28%. Essas amostras que se encontravam em não-conformidade foram provenientes de 66 fabricantes diferentes.

O que realmente significa “fios e cabos não estarem conformes”?

O principal problema da falta de qualidade dos fios e cabos elétricos, presentes no mercado, é o uso de menor quantidade de cobre, ou seja, para reduzir custos de produção, alguns fabricantes utilizam menos cobre do que o exigido para garantir a confiabilidade e segurança do produto.

Quando você tem menos cobre, há um aumento da resistência elétrica e por consequência um maior risco de aquecimento desse cabo. Lembra das veias entupidas? Do enfarte eminente? É isto que acontece com os cabos, ou seja, o risco de um incêndio se torna quase inevitável.

Além disto, alguns fabricantes diminuem o diâmetro do condutor, completando o espaço restante com mais material isolante. Desta forma, o consumidor pensa que está comprando um produto confiável, e na realidade está levando gato por lebre.

Um Selo de Qualidade que pode salvar vidas!

Agora imagine se você tiver um Selo que ateste a qualidade de determinado fio ou cabo, garantindo que é um produto confiável?

Em breve, você poderá exigir que o produto que irá adquirir tenha este selo, onde ao realizar a leitura do QR Code, através do seu celular,você já saberá se é um produto confiável ou não.

Este é um trabalho que a Qualifio vem desenvolvendo, a fim de apoiar o consumidor e os profissionais na hora da compra.

 

#programacasasegura #acidenteeletrico #curtocircuito #eletricidade #instalacaoeletrica #eletricista #riscomorte #morte #choqueeletrico #qualifio