Entrevista com Antonio Maschietto Jr, coordenador do Programa Casa Segura

foto-antonio

Entrevista com Antonio Maschietto Jr, coordenador do Programa Casa Segura, mostra a importância de se realizar revisões periódicas das condições das instalações elétricas, a fim de se evitar curtos-circuitos e incêndios.

  1. Há quanto tempo existe o Programa Casa Segura e qual o seu principal objetivo?

O Programa Casa Segura foi criado em 2005 no Brasil e tem como objetivo conscientizar a população sobre os riscos das instalações elétricas inadequadas, tanto para as pessoas, como para o seu patrimônio.  Ao longo dos anos o Programa foi se expandindo, e atualmente está presente em outros países da América Latina, entre eles: Argentina, Colômbia, Chile, Peru e México.

 

  1. Na sua opinião, qual o principal problema hoje quando o assunto é revisão das instalações elétricas?

Infelizmente, grande parte da população brasileira não realiza revisões periódicas das instalações elétricas, o que torna problema agravante, uma vez que a maioria das pessoas vive em casas e prédios antigos. Imagine que 20 anos atrás, não havia a quantidade de eletrodomésticos e eletroeletrônicos que se possui atualmente. Essas instalações elétricas antigas não suportam a carga elétrica que a demanda de equipamentos atual exige, podendo assim acarretar em um curto-circuito, e por consequência um incêndio.

 

  1. Qual o risco que se corre ao ligar muitos equipamentos na mesma tomada?

Pelo fato de muitas casas não terem a quantidade de tomadas suficientes, as pessoas acabam recorrendo aos benjamins ou T’s, e ligando vários aparelhos em uma única tomada, que havia sido projetada para ligar somente um equipamento. Dessa forma, o risco de ocorrer uma sobrecarga é muito grande.

 

  1. Mas, essa sobrecarga pode acontecer se for ligado qualquer tipo de aparelho junto, ou existe alguns aparelhos onde o risco é maior?

É importante que, ao ligar vários equipamentos na mesma tomada a pessoa preste atenção na potência desses equipamentos. Por exemplo, se for ligado um microondas e uma geladeira juntos na mesma tomada, a probabilidade de acontecer um curto-circuito é muito maior, uma vez que ambos aparelhos tem uma potência elétrica muito alta, o que exige uma carga elétrica maior para funcionarem. É nesse momento que acontece a queda do disjuntor, ele desarma para “avisar” que há uma sobrecarga na instalação elétrica.

 

  1. Então, quer dizer que se o disjuntor desarma ou “cai”, o problema da sobrecarga é o disjuntor?

É aí que mora o perigo. Muitas pessoas pensam que trocar o disjuntor por um de maior amperagem soluciona o problema, sendo que na realidade o problema está detrás das paredes, nos fios e cabos instalados que não estão suportando a carga elétrica elevada que aqueles equipamentos estão precisando para funcionar. Eu costumo dizer que quando um disjuntor desarma ou “cai”, é um sinal de que a instalação elétrica dá de que alguma coisa está errada.

 

  1. De quanto em quanto tempo devemos revisar a instalação elétrica de nossos lares?

A Norma Brasileira de Instalações Elétricas de Baixa Tensão, NBR 5410:2004, sugere que a cada 5 anos seja feita uma revisão das instalações elétricas. Mas, antes disso, você mesmo pode realizar um diagnóstico visual da instalação, a fim de saber se já é o momento de fazer uma reforma. No site do Programa Casa Segura, há um diagnóstico visual que te ajuda a identificar potenciais problemas da instalação elétrica: http://programacasasegura.org/sua-casa/diagnostico/

 

  1. Para finalizar, qual a mensagem que você gostaria de deixar para os leitores do Programa Casa Segura?

Que você é responsável pela sua segurança e de seus familiares.  Portanto, não espere o pior acontecer, faça o quanto antes uma reforma das instalações elétricas de sua casa.

Conheça o Programa Casa Segura: http://programacasasegura.org/